ALMOÇO I

Assim como os encontros oferecidos por Toco Prado de Carvalho em sua casa no Quinta do Golfe, os almoços de Beto Freitas são sempre um momento icônico e pontual do calendário social do Koxixo, grupo essencialmente masculino, com mais de 50 anos, que encontra ressonância nas memórias de amigos de longa data. E trazem a necessária dose de vitalidade. O grupo tem nesses encontros uma espécie de mourão,que vocês sabem é aquela estaca que segura cerca e serve para amarrar canoa. Dia 16 de março,Beto abriu sua bonita e elegante casa,no Condomínio Harmonia, para uma feijoada,provocativa em cada detalhe, escancarando um rigor gastronômico envolvente com o mesmo estilo, generosidade e atitude que ele e a mulher, Mara, costumam oferecer sempre que abrem a casa aos amigos.

ALMOÇO II

Como anfitrião, tanto ele como Mara se entregam com voracidade ao papel de anfitriões com rara similitude. Iniciada com umas inomináveis e fumegantes coxinhas de massa de mandioca e recheadas de carne moída, vindas de Uchoa,receita de dona Diva,a saudosa sogra do host,teve os indefectíveis torresmos e linguiças fazendo-lhes companhia. Causava tensão nas interjeições que emanavam do céu da boca. Com cada detalhe aterrissando à mesa,soberano, pontuado por delícias entre scotchs com idade quase igual à de quem os consumia, além do chope diretamente da chopeira.

ALMOÇO III

Mesona na varanda, comprida como a amizade dos comensais ali reunidos,à medida em que as horas escorriam e os álcoois eram consumidos,as falas aumentavam o volume, misturando-se às gargalhadas e brincadeiras de gente que se conhece desde a infância,com um prazer de quem recebe a abençoada e purificadora chuva na cara.Astutos connaisseurs das mais intrincadas futilidades, conseguem exonerar da mesa aqueles que trazem prosopopeias cheias de seriedade.Desnecessário dizer que boa parte da fortuna crítica dos anfitriões esmiúça e louva a perfeição técnica dos principais times de futebol, inexorável lei do universo masculino,.Afinal sabem trabalhar com um código de traços singulares que funcionam como refinamento compulsório.Uma tarde dessas que, parafraseando aquela sambada exclamação,nada paga.



Deixe um comentário