AUTOMÓVEL CLUBE

O réveillon deste ano serviu para mostrar que o Automóvel Clube, qual o idefectível Fênis, retorno soberano às lides sociais, com outra roupagem,claro, mas foi o maior de sua história. Ou melhor,os réveillons.No restaurante Panorâmico no segundo andar, 110 convidados desfrutaram de uma noitada irretocável, com gastronomia de primeira assinada por Angeles Perez, do restaurante Don León, pela música excelente do tecladista Anisinho Martins e seu grupo.Um grupo de pessoas mais velhas que preferem contemplar o conforto em detrimento da muvuca jovem. Isolados do grupo que foi ao Panorâmico,estiveram 3 mil jovens desfrutando  do trabalho da empresa Aldeia Sonora de Rafael Murat e Fausto Milani,na oitrava edição do Réveillon da Aldeia,com 3 DJs e cinco bandas e a gastronomia assinada pelo Buffet Dahir de Faria.Eles se distribuíram pelo salão de festas, pelos jardins,pela Sala Azul e pela boate Koxixo.Tudo animado,bonito, confortável e o que é melhor:sem que fosse registrado qualquer incidente. Nada, nada.Os anfitriões mimaram seus convidados:scotch Ballantine’s e vodka Absolut nentre outras bebidas,dispostas em carreira nas paredes de cabeça para baixo como nos pubs ingleses,para que cada convidado se servisse à vontade.Quando eu disse que só Jesus salvava o Automóvel Clube, acho que eu estava prevendo.



Deixe um comentário