NEGOCIAÇÕES PARA FUSÃO, AVANÇAM

A Fiat Chrysler (FCA),de capital ítalo americano, apresentou segunda-feira, dia 27, uma proposta de fusão com a francesa Renault , o que criaria a  terceira maior montadora do mundo, um anúncio celebrado pelos investidores e o governo francês. Juntas, elas têm um valor de mercado combinado de cerca de US$ 39 bilhões, o equivalente a  € 35 bilhões. O conselho de administração da Renault se reunirá nesta segunda-feira para examinar a proposta de fusão, informou a montadora francesa em um comunicado publicado pouco depois do anúncio da proposta.De acordo com a proposta da Fiat para a Renault, o novo grupo pertenceria em 50% aos acionistas da empresa ítalo-americana e em 50% aos acionistas da montadora francesa. As negociações entre as duas montadoras estão avançando sem a participação da Nissan, que têm uma parceira de 20 anos com a  Renault, e da Mitsubishi, o outro integrante da aliança. A Fiat condicionou as negociações de fusão com a Renault concordando em não realizar uma transação com a Nissan no curto prazo, de acordo com fontes familiarizadas com o assunto.A FCA calcula que a fusão geraria sinergias anuais superiores a 5 bilhões de euros, que seriam adicionadas às já existentes no âmbito da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.De acordo com uma fonte que acompanha o processo, o anúncio seria o resultado de “negociações iniciadas com o brasileiro Carlos Ghosn”, o ex-presidente da montadora francesa, investigado no Japão por supostas fraudes financeiras.A Renault vendeu no ano passado 3,9 milhões de veículos, a Nissan 5,65 milhões e a Mitsubishi Motors 1,22. A Fiat Chrysler, que tem 13 marcas (incluindo Jeep, Alfa Romeo, Dodge, Ram ou Ferrari), vendeu 4,8 milhões de veículos em 2018.A Fiat-Chrysler (FCA), montadora americana que enfrenta dificuldades na Europa, entre outros motivos por seu atraso no desenvolvimento de veículos “limpos”, estava há várias semanas no centro dos boatos sobre uma possível aproximação.  



Deixe uma resposta