PESCARIA

Entendendo que a vida social pode ser uma atividade exaustiva, um grupo de rio-pretenses, integrantes da Confraria da Pesca,está exercitando seu direito à pescaria.Desde a véspera do feriado de São José, começaram a embarcar em voos diferentes, rumo à Foz do Iguaçu, onde se encontraram e passaram o finde entre passeios às Cataratas e compras em Ciudad del Este.Na noite de sábado, viajaram para Paso de la Patria, na região de Corrientes, na Argentina, com a única finalidade de respirar liberdade e repensar a vida com densidade.Isso  faz com que o mundo feminino se encha de curiosidade para saber o que acontece numa pescaria que tanto fascina seus maridos.

Reinaldo Lobanco, com sua voz de barítino, alguns decibéis acima do normal, comanda a cena, como um regente.Em sua alma “democrática”,ele que determina o tipo de música e a hora que deve mudá-la.E todos obedecem com tranquilidade.Um esculhambador da República, o”Rei”é impagável,alguns quilos mais pesado que o Macaco Simão, carregando no bornal um humor sardônico que diverte a todos.Na segunda-feira, devidamente instalados no Hotel Condado, um cinco estrelas que também é cassino – um pocket cassino, mas é cassino- eles iniciaram a pescaria no altar consagrado ao esporte, na região, o Rio Paraguai, onde a paisagem nos olha com doce condescendência, hipnotiza e se impõe com a força do olhar.A Agência Pedrinho Pesca, que os acolhe, é bastião de pescarias no nordeste argentino, expressão de credibilidade e respeito entre os correntinos. Depois de praticar uma das atividades mais antigas do mundo, a pesca e darem um mergulho na magia da liberdade atropelando regas de etiqueta e sem hora para nada, eles retornam na próxima quinta-feira, dia 28, trazendo na memória as caudalosas veias visíveis do planeta, ladeadas por árvores inchadas de um verde fascinante que mastigam estrelas ainda na alvorada.Plácida e magnetizante, a Natureza toca no mais sublime dos mistérios e expõe com intensidade a infinita misericórdia de Deus.



Deixe um comentário